Orquídeas coloridas




Dentre as várias famílias botânicas existentes no mundo, a Orchidaceae é uma das mais numerosas e surpreendentes, tal a variedade de formas, tamanhos e cores de seus representantes.

No quesito orquídeas coloridas, por incrível que pareça, a que faz mais sucesso é falsa. Trata-se da famigerada orquídea azul, Phaleaenopsis Blue Mystique. Embora tenha sido lançada há bastante tempo, muitas pessoas ainda hoje acreditam que a cor desta Phalaenopsis azul é verdadeira. Na verdade, trata-se de um processo de coloração artificial, em que um corante orgânico é injetado na seiva da haste floral, colorindo os botões à medida que se desenvolvem.

Embora não muito comum, a orquídea verde pode ser encontrada em algumas espécies e híbridos.

Outra flor bastante apreciada por colecionadores, esta verdadeira, é a orquídea vermelha. Existem na natureza poucas orquídeas com esta tonalidade, que é rara na natureza. De modo geral, orquídeas vermelhas são produzidas em laboratório, através de cruzamentos controlados. Inúmeros híbridos famosos vêm sendo obtidos, todos com belíssimas florações escarlates.

Também não tão comum, estão as orquídeas em tons alaranjados. Existe uma orquídea laranja de porte compacto, de colorido bastante interessante. Novamente, a maioria das flores nesta coloração são produzidas por orquídeas híbridas. A espécie Epidendrum fulgens, por sua vez, ocorre naturalmente no litoral brasileiro e apresenta flores em uma grande variedade de tons alaranjados.

Belíssimas e diferentes, as orquídeas esverdeadas também são destaques nas coleções. Particularmente, encontramos lindas variedades verdes de Cymbidium e Denphal.

Um pouco mais abundantes são as orquídeas amarelas. Nesta categoria, temos orquídeas famosas, como a célebre orquídea chuva de ouro. Além dela, as opções são variadas. Existem belos representantes nos gêneros Dendrobium, Cymbidium, Cattleya e seus híbridos, etc.

Digna de nota é a orquídea Phalaenopsis vinho, outra cor não tão comum neste gênero de orquídeas. Neste caso, novamente, tratam-se de orquídeas híbridas, frutos de sucessivos cruzamentos que buscam obter as mais interessantes variações de vinho em suas florações. Também destacamos as incríveis mini Phalaenopsis, com uma grande gama de colorações e estampas diferentes.

A grande maioria das orquídeas apresenta a típica coloração magenta ou púrpura, como é o caso das clássicas Cattleya labiataCattleya walkeriana. Esta cor é tão icônica que foi eleita pela Pantone como cor do ano de 2014, a orquídea radiante. Neste contexto, também podemos citar o belíssimo labelo da Cattleya bicolor, que contrasta com o tom verde musgo de suas pétalas e sépalas.

Plantas para interiores




Com a população dos centros urbanos aumentando a cada dia, aumenta o número de pessoas que vivem em apartamentos, privadas de um jardim para plantar. Concomitantemente, a procura por plantas de interiores vem ganhando cada vez mais destaque.

A principal dificuldade para quem cultiva em casas e apartamentos é fazer com que suas plantas floresçam. Devido à luminosidade escassa, vinda apenas de janelas, é preciso escolher com critério as espécies que, não apenas sobrevivem, mas dão flores em ambientes internos. Neste contexto, o lírio da paz é uma excelente opção. Planta de fácil cultivo e belíssima folhagem, o Spathiphyllum wallisii pode florescer com níveis medianos de luminosidade, dentro de casa.

Além dele, há outras belas opções de folhagens, bastante ornamentais. A planta lumina, Chlorophytum orchidastrum, mesmo que não floresça, traz um sopro de cor laranja ao ambiente, no centro de esculturais folhas verdes contrastantes. 

Outra planta colorida, de fácil cultivo e que se adapta bem a interiores é o trevo roxo, Oxalis triangularis. Frequentemente menosprezado, por ser considerado mato, o este belo trevo púrpura é bastante cultivado e apreciado no exterior. Há variedades de todos os tamanhos, com diferentes tonalidades de roxo, todas muito ornamentais.

Nesta mesma linha de plantas roxas, temos a trapoeraba roxa, Tradescantia pallida purpurea, que é bastante resistente e ornamental. Floresce frequentemente durante os meses mais quentes do ano.

Ainda mais coloridas são as fitônias (Fittonia albivenis). Embora a espécie tipo apresente folhas verdes com um intrincado mosaico formado por nervuras brancas, existem variedades com nervuras em diversos tons de pink e vermelho sangue.

Voltando às folhagens puramente verdes, destacamos a mini samambaia havaiana. Esta é uma planta que está em alta, devido ao seu porte compacto, aspecto felpudo e fácil cultivo. É uma miniatura de samambaia que não requer maiores cuidados e ocupa pouco espaço. Além de ser bem diferente das variedades às quais estamos acostumados.

Outra planta bastante exuberante e de fácil cultivo é a columeia peixinho, Nematanthus wettsteinii, cujas flores lembram o famoso peixe platy.

As begônias são plantas bastante versáteis para interiores, existindo aquelas cujas folhagens são extremamente ornamentais. Existem, ainda aquelas que produzem belas florações, como é o caso da begônia vermelha.

Por fim, ainda que sejam plantas que requeiram níveis maiores de luminosidade, estão bastante em alta as suculentas e cactos. Existe atualmente uma febre por plantas suculentas, cuja procura tem rivalizado inclusive com as exclusivas orquídeas.

Claro que a lista de plantas indicadas para interiores é imensa. Na curadoria de espécies, é sempre bom ficarmos atentos aos níveis de luminosidade requeridos, bem como à sua toxicidade se ingeridas por crianças ou animais. Também é importante verificar os níveis de umidade que as plantas escolhidas demandam em seu ambiente de cultivo. Tomados estes cuidados, é bastante tranquilo formar uma pequena floresta urbana dentro de nossas casas e apartamentos.

Plantas Assustadoras


Cacto Monstruoso
Cacto Monstruoso

Existe um curioso grupo de plantas que, embora muito ornamentais, possuem apelidos sugestivos. São cactos e suculentas que, devido a algumas características de sua aparência, tornaram-se conhecidas por nomes populares como planta fantasma, cacto monstruoso ou suculenta teia de aranha.

O cacto cuja foto ilustra este artigo é uma Opuntia monacantha monstruosa. O coitado recebeu esta denominação porque possui a interessante característica de emitir novos brotos por todos os lados, crescendo de forma desordenada. Alguns outros cactos e suculentas apresentam esta forma anômala de crescimento, cientificamente designada de forma monstruosa. A espécie tipo é, frequentemente, bastante diferente da variedade monstruosa.

Outra planta de nome popular bastante curioso é a suculenta teia de aranha. Esta, de fato, possui uma aparência assustadora. Suas folhas, caules e até botões florais são recobertos por pelos, em um emaranhado que lembra teias de aranha. São estruturas que protegem esta suculenta dos raios solares e da desidratação. Seu nome científico é Tradescantia sillamontana.

Igualmente sombria é a planta fantasma, Graptopetalum paraguayense. Trata-se de uma suculenta bastante popular nas casas e jardins de cultivadores, famosa por seu fácil cultivo e rápido crescimento. Sua aparência fantasmagórica é devida à sua coloração pálida e ao fato de suas folhas serem recobertas por um fino pó translúcido.

Por fim, temos a famosa suculenta negra, a Echeveria 'Black Prince'. Seu nome nobre e pomposo faz jus à sua aparência, belíssima. É uma das poucas plantas suculentas com uma coloração que se aproxima do negro. Na verdade, quanto mais exposta ao sol, mais escuras ficam suas folhas.

Em conjunto, este quarteto de plantas assustadoras faz uma bela composição para uma decoração de Halloween, podendo ficar ainda mais interessantes se plantadas em cachepots de abóboras.